Chicago registou uma temperatura dez graus mais baixa que a que se fazia sentir, à mesma hora, na Antártida. A vaga de frio que assola ao território norte-americano é a mais grave das últimas décadas e a explicação pode estar no aquecimento global. Por mais que o presidente dos EUA peça a vinda do aquecimento global, é este fenómeno que está bem presente e a causar a maior vaga de frio em décadas. 

A causa desta vaga de frio deve-se ao vórtice polar, um ciclone que se localiza no ártico e que, nas últimas semanas, desceu para o território norte-americano. A deslocação desta massa de ar é resultado do deslocamento das "jet stream", as correntes de jato. Estas massas de ar que se localizam nos trópicos funcionam como barreiras que não permitem o deslocamento dos ciclones, como o vórtice polar. 

Onde entra o aquecimento global que Trump pediu? Os cientistas defendem que são as mudanças de temperatura que criam alterações nas correntes de jato que, por sua vez, permitem que o vórtice polar desça no mapa e afeta, nesta altura, os Estados Unidos da América. Esta anomalia, provocada pelas alterações climáticas, é ainda responsável pelo aumento das temperaturas durante o verão no circulo polar ártico. 

O movimento do "polar vortex" é explicado por uma animação partilhada pela NASA no Twitter.

As alterações climáticas são provadas ainda pelas diferenças de temperaturas entre os dois polos. Enquanto os americanos "batem o dente" com o frio, os australianos enfretam temperaturas superiores a 40 graus. 

Pelo menos oito mortos

Escolas fechadas, transportes paralizados e temperaturas acima dos 20 graus negativos na maior parte do território. A vaga de frio que atinge, em especial, os estados do centro-norte dos EUA provocou pelo menos oito mortes.