Um homem ficou ferido depois de um cigarro eletrónico explodir no bolso das suas calças. A vítima, Otis Gooding, é empregado de uma loja de vinhos, em Nova Iorque.

Como podemos observar nas imagens da CNN, obtidas pela videovigilância da loja, Gooding, de 31 anos, estava de pé atrás do balcão da loja e, enquanto conversava com colegas de trabalho, o cigarro eletrónico explodiu.

O acidente provocou queimaduras na sua perna, coxa e na mão, segundo afirma o seu advogado Sanford Rubenstein.

 

Enquanto tentava tirar o dispositivo do bolso, podemos ver as faíscas e o fumo que saíam das suas calças.

Sanford declarou que o seu cliente foi admitido no centro hospitalar Weill Cornell e esperava para ser operado.

Embora os colegas de trabalho que testemunharam a explosão tenham ficado “abalados” pelo que aconteceu, mais ninguém ficou ferido.

Infelizmente não havia nada que pudéssemos fazer além de chamar a polícia", disse outro funcionário, John Lee, à CNN.

 

Otis despejou a água para si mesmo até aparecerem os paramédicos e eu estava traumatizado por ver alguém ferido daquela forma", acrescentou.

O colega, que já foi fumador de cigarros eletrónicos, acredita que o dispositivo foi alterado e “personalizado para maiores voltagens", já que nunca tinha visto um com “tanto poder”.

Segundo o advogado, Otis pretende recorrer a medidas legais contra os fabricantes. 

Acidentes idênticos

Em maio, um vaporizador semelhante explodiu na cara de um jovem, também em Nova Iorque. O dispositivo, além de ter provocado queimaduras nas mãos do jovem, partiu os dentes e fez um buraco na sua língua.

Outro caso é o de um adolescente, no Alabama, que ficou queimado depois da bateria de um cigarro eletrónico ter explodido no bolso de um colega.

Em fevereiro, um homem foi filmado, numa bomba de gasolina, com chamas na perna após a explosão do seu dispositivo.