Uma equipa de investigadores do Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde de Coimbra desenvolveu um método inovador que facilita o diagnóstico de tumores através de Tomografia por Emissão de Positrões.

Francisco Alves, docente na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, explicou à agência Lusa que a técnica desenvolvida consiste na produção "de Gálio-68 em alvos líquidos, de uma forma mais simples do que a clássica, com vantagens económicas".

Por este método vai ser possível produzir o Gálio-68 de forma mais simples e possibilitar que esteja mais acessível aos pacientes e ao Serviço Nacional de Saúde, porque economicamente é muito mais barato", sublinhou o coordenador da investigação.

O Gálio-68 é um dos radioisótopos que é utilizado na marcação de radiofármacos de crescente relevância para o diagnóstico de tumores neuroendócrinos e da próstata, através da Tomografia por Emissão de Positrões.

De acordo com Francisco Alves, o método está "completamente estabelecido e as moléculas também".

Só estamos à espera que o método seja aprovado pelo Infarmed- Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde para ser usado em humanos, o que está na iminência", referiu.

O investigador adiantou ainda que foi também efetuado um pedido à Agência Europeia do Medicamento, pelo que a nova técnica deverá, em breve, estar disponível para ser usada.

Até ao final do ano deverá estar também registada a patente do metódo, cujo processo se encontra a decorrer.

O avanço científico da equipa liderada por Francisco Alves foi premiado com o IBA Award, que premeia anualmente um trabalho científico na área da produção de radioisótopos, à margem do congresso da Sociedade Europeia de Medicina Nuclear (EANM) que decorreu recentemente, em Barcelona.