Uma vasta área de gelo na zona mais vulnerável às mudanças climáticas da Antártida pode estar a colapsar.

O glaciar de Pine Island, um dos maiores da região, foi encontrado pela cientista Joanne Johnson fortemente fissurado com uma fenda de dezenas de quilómetros de comprimento.

Pareceu-me incrivelmente instável. Uma parte gigantesca do glaciar está em perigo de colapsar”, disse Johnson, a primeira pessoa a visitar a área Oeste da Antártida em 50 anos.

O glaciar de Pine Island situa-se muito perto do glaciar de Thwaites que tem aproximadamente o tamanho do Reino Unido

A cientista, em entrevista à Sky News, sublinhou que só conseguiu perceber a dimensão do problema quando viu o glaciar diante dos seus olhos.

Ver aquilo à minha frente fez-me pensar: ‘meu Deus, isto está mesmo a acontecer’”, disse Johnson.

O glaciar de Pine Island move-se cerca de quatro mil metros por ano, levando gelo da cúpula alta da Antártida Ocidental até ao mar.

A camada de gelo do Oeste da Antártida contém cerca de 2,2 milhões de quilómetros cúbicos de gelo.

As fissuras do glaciar de Pine Island

Mas e se essas plataformas começarem a colapsar? O diretor do Centro de Pesquisa da Antártida, Tim Nash, disse recentemente numa reunião parlamentar na Nova Zelândia que "quando tal fenómeno começar, não háverá forma de parar". "Não parece estar em bom estado”, acrescentou. Nash diz que o planeta está a aproximar-se do ponto crítico.

O início do efeito dominó gerado pelo colapso da camada de gelo significaria uma subida dos níveis do mar por mais de três metros. Uma realidade que tornaria Londres, Nova Iorque, Lagos e Kolkata em cidades submersas.

A comunidade científica diz que uma tragédia desse calibre pode não estar assim tão distante se os níveis de dióxido de carbono continuarem a subir. 

Este gráfico mostra como as temperaturas médias no mundo subiram um grau celsius desde a época pré-industrial.

Um estudo divulgado na terça-feira revela que os oceanos estão a aquecer a uma velocidade mais rápida do que se previa, especialmente nas zonas mais profundas.

Por causa deste aquecimento dos oceanos o glaciar de Pine Island tem derretido cerca de 22 metros por ano.