A NASA anunciou que celebrou com a Bell Labs, a subsidiária americana da Nokia, um contrato no valor de 14,1 milhões de dólares (cerca de 12 milhões de euros) para implementar uma rede 4G/LTE na Lua.

A agência espacial norte-americana diz, em comunicado, que a ideia é que este sistema possa “suportar comunicações através da superfície lunar com distâncias maiores, velocidades aumentadas e fornecer mais fiabilidade do que os atuais padrões”.

Apesar de ainda não haver muitos detalhes públicos acerca do projeto, a iniciativa faz parte do objetivo da NASA em ter uma base lunar até 2028. Além da Nokia, o programa Artemis, que conta com um fundo de 370 milhões de dólares (cerca de 320 milhões de euros) fechou contrato com outras três empresas.

O investimento significativo da NASA em demonstrações de tecnologia inovadora, lideradas por pequenas e grandes empresas dos EUA, em nove estados, expandirá o que é possível no espaço e na superfície lunar. Juntos, a NASA e a indústria estão a construir uma série de recursos prontos para a missão para apoiar uma presença sustentável na Lua e futuras missões humanas a Marte”, afirmou o administrador da NASA, Jim Bridenstine.

Segundo a Bell Labs, os astronautas usarão a sua rede sem fios para a transmissão de dados, controlo de veículos lunares, navegação em tempo real na geografia lunar (uma espécie de Google Maps para a lua) e streaming de vídeo de alta definição.

A primeira mulher na Lua

Inserida no programa Artemis está ainda a intenção da NASA em enviar a primeira mulher e o próximo homem à Lua, já em 2024.

A par disto, a agência quer, até ao final desta década, construir uma base lunar, que servirá como um centro de investigação e que permitirá a exploração e extração sustentáveis de recursos da Lua.

O Artemis será o maior e mais diverso programa internacional de exploração espacial humana da história, e os Acordos Artemis são o veículo que estabelecerá essa aliança global única. Com a assinatura dos acordos, estamos cada vez mais próximos dos nossos parceiros para explorar a Lua e estabelecer princípios vitais que criarão um futuro seguro, pacífico e próspero no Espaço, dos quais toda a humanidade possa desfrutar", adiantou Jim Bridenstine.

Lara Ferin