Investigadores da Universidade de Edimburgo, uma das melhores instituições mundiais de pesquisa, detetaram vários problemas cardíacos em doentes Covid-19, que podem, inclusive, levar à falência do coração.

Os médicos analisaram ecocardiogramas de 1.200 pacientes de 69 países e encontraram várias anormalidades em 55% dos exames (hospitalares), com um em cada sete doentes a apresentar sinais de "anormalidades severas".

Os ultrassons detetaram problemas nos ventrículos em mais de um terço dos pacientes, enquanto 3% sofreram ataques cardíacos e outros 3% apresentavam inflamação no tecido cardíaco. A maioria não tinha doença cardíaca conhecida antes dos exames.

A proporção de doentes com ecocardiogramas anormais foi realmente elevada. Mais de metade tinha um exame anormal, o que nos leva a pensar que isto possa ser consequência da infeção viral", explicou Anda Bularga, uma das investigadoras da Universidade de Edimburgo, que participou no estudo, citada pelo The Guardian.

Segundo a universidade, estas conclusões mostram que a realização de ecocardiogramas em doentes Covid-19 pode ser determinante para identificar problemas cardíacos resultantes da infeção pelo novo coronavírus, o SARS-CoV-2.

Anda Bularga explicou, ainda, que as ultrassonografias são exames que os médicos têm relutância em pedir, uma vez que os procedimentos implicam contacto próximo com os doentes.

Estas conclusões mostram, também, que a Covid-19 não afeta apenas os pulmões, mas também orgãos como o coração e o cérebro. Estudos iniciais na China e em Itália mostravam já que 20% dos pacientes hospitalizados devido ao coronavírus apresentavam danos no coração.

Em alguns pacientes, os problemas cardíacos surgem devido ao esforço do coração em bombear sangue na sequência da infeção nos pulmões, mas noutros doentes o coração foi afetado diretamente.

 
Catarina Machado