A farmacêutica AstraZeneca anunciou esta quinta-feira que o desenvolvimento de uma vacina contra as novas variantes da covid-19 pode demorar entre seis a nove meses.

A vacina da empresa, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, é tida como eficaz contra a variante descoberta no Reino Unido, na cidade de Kent, e que é até 70% mais contagiosa. Em sentido contrário, os primeiros ensaios não são claros em relação à eficácia contra outras variantes, nomeadamente a sul-africana.

Apesar do aparente percalço, a farmacêutica anglo-sueca, que desenvolveu uma das vacinas contra a covid-19, obteve um lucro líquido de 3.144 milhões de dólares (2.592 milhões de euros) em 2020, mais 159% do que no ano anterior.

Em comunicado enviado à Bolsa de Valores de Londres, a empresa informou que o seu lucro antes de impostos foi de 3.916 milhões de dólares (3.228 milhões de euros), um aumento de 152% face ao ano anterior.

A receita total em 2020 atingiu 26.617 milhões de dólares (21.945 milhões de euros), um aumento de 9,1% em relação a 2019, acrescentou a empresa, que destacou a expressiva receita gerada pelo rápido desenvolvimento de novos medicamentos, bem como os avanços na produção da vacina contra a covid-19.

A vacina da AstraZeneca é uma das três já aprovadas na União Europeia e que está já a ser usada em Portugal, em conjunto com os produtos da Pfizer e da Moderna.

António Guimarães