Caso para pensar, "de pequenino"... Porque, afirma a psicóloga Dora Alvarez, da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens em Risco, as crianças são tentadas pela internet e têm de estar avisadas. Desde a idade pré-escolar.

De facto, nós preparamos muito bem as nossas crianças para lidarem com estranhos. Ensinamos desde pequeninos para não aceitarem doces, para não irem com estranhos e não lhes ensinamos como lidar com as novas tecnologias", alertou a psicóloga no Encontro Nacional Anual das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) que decorre desde segunda-feira, no Funchal.

De acordo com a psicóloga, as crianças e jovens tendem a aceitar os pedidos de amizade nas redes sociais, designadamente no Facebook.

E não se ensina que, muitas vezes, por detrás do que parece um adolescente também pode estar um agressor", salientou Dora Alvarez.

Para a especialista, há necessidade de sensibilizar e capacitar os pais para os perigos da internet porque "muitas vezes não têm consciência dos mesmos". E lembrou a existência de programas de apoio nas escolas, caso do Internet Segura.

Temos de começar pelo pré-escolar, pelo jardim-de-infância porque as crianças sabem manusear, desde muito cedo e muito melhor que os adultos, os ‘tablets’", observou a psicóloga.