O tempo estará «bom» para mais uma operação ousada da agência espacial NASA, que pretende aterrar um a sonda «Curiosity» em Marte esta segunda-feira.

«Marte está a colaborar», disse, em conferência de imprensa, Ashwin Vasavada, um dos cientistas da equipa do Laboratório de Propulsão de Pasadena (Califórnia, Estados Unidos), responsável pelo controlo da missão, segundo cita a Lusa.

A tempestade de pó localizada há alguns dias perto do local da aterragem dissipou-se e deu lugar a «uma nuvem de pó bastante inofensiva», descreveu o cientista, citado pelas agências internacionais, acrescentando que não se espera que esta nuvem venha a afetar a entrada, a descida ou a aterragem.

O veículo-robô de seis rodas, do tamanho de um pequeno carro, transporta um complexo kit de ferramentas para analisar as pedras e o solo de Marte, em busca de sinais de vida no planeta vermelho.

A operação Marte ¿ que deverá iniciar-se às 5:31 de segunda-feira (6:31, hora de Lisboa), prevê-se dramática, com direito a separação da nave especial, descida de paraquedas e aterragem lenta.

No final de uma viagem de mais de 565 milhões de quilómetros, a «Curiosity» deverá tocar a superfície de Marte quando este planeta se encontrar a 248 milhões de quilómetros da Terra.

Lançado a 26 de Novembro de 2011 e orçado em dois mil milhões de euros, o robô-explorador viaja a uma velocidade de 12.800 quilómetros por hora, mas, uma vez dentro da órbita de gravidade do planeta, deverá acelerar até aos 21.200 quilómetros por hora.
Redação