O Facebook admitiu que recolheu, de forma "não intencional", a lista de contactos do e-mail de 1,5 milhões de utilizadores sem autorização. Agora, a rede social garante que vai apagar os dados recolhidos e notificar os afetados.

A recolha de contactos "involuntária" acontecia sempre que um utilizador criava uma conta nova. Nessa altura, era-lhe pedido que colocasse a palavra passe do e-mail como parte do processo de inscrição. Ao fazer isso, era apresentada a indicação de que a sua lista de contactos estava a ser importada sem que lhe tivesse sido pedida autorização.

Estimamos que foram recolhidos os contactos de e-mail de 1,5 milhões de pessoas. Esses contactos não foram compartilhados com ninguém e estamos a apagá-los. Estamos a corrigir o problema e a notificar as pessoas cujos contactos foram importados. As pessoas também podem gerir os contactos que compartilham com o Facebook nas configurações”, explicou em empresa em comunicado, citada pelo The Guardian.

Quanto ao número de endereços de e-mail recolhidos, o Facebook não tem a certeza, mas prevê que seja na ordem das dezenas ou mesmo centenas de milhões, dependendo de quantos contactos cada utilizador que faz parte daquele milhão e meio tivesse armazenados na sua conta.

A rede social referiu ao Business Insider que os contactos foram usados apenas para melhorar o segmento da publicidade, construir a sua rede de ligações sociais e recomendar amigos para adicionar.

Esta é mais uma falha da empresa de Mark Zuckerberg, que têm vindo a ser recorrentes desde o escândalo da Cambridge Analytica. Há menos de um mês, foi revelado que as palavras-passe de centenas de milhões de utilizadores do Facebook tinham sido guardadas em texto, sem qualquer encriptação, num documento acessível a 20 mil funcionários da empresa.