Os utilizadores do Facebook que estão a aderir ao movimento #DeleteFacebook e a apagar a conta na rede social estão a ficar surpreendidos com a informação que a empresa de Mark Zuckerberg guarda sobre eles. Quem, além de se limitar a apagar a conta, pediu também a extração de toda a informação que há sobre si nos servidores descobriu que, ao longo dos anos, o Facebook não guardou só publicações e as preferências reveladas pelos “Likes”.

De acordo com o jornal The Guardian, houve quem descobrisse que o Facebook guarda chamadas e SMS feitos e enviados com o telemóvel. Mesmo que, para isso, não tenha sido usada qualquer ferramenta relacionada com o Facebook.

O movimendo #DeleteFacebook surgiu depois do escândalo Cambridge Analytica. Uma investigação jornalística descobriu que dados de mais de 50 milhões de utilizadores do Facebook foram usados para fins políticos e terão ajudado a influenciar resultados eleitorais.

Quando os utilizadores tentam apagar a conta, é-lhes proposto que façam download de toda a informação guardada pela rede social. É aqui que os internautas se têm surpreendido com o que há guardado.

Numa crónica no site da CNN, a jornalista de Tecnologia da estação Sara Ashley O'Brien conta que o ato de apagar a conta na rede social a obrigou inclusive a reviver “memórias dolorosas”.

Tinha o número de telefone da minha falecida avó, que nunca teve uma conta no Facebook, ou mesmo um endereço de e-mail. O Facebook preservou as conversas que eu tive com um ex-namorado (alguém com quem eu pensei ter apagado meus laços digitais”, escreve Sara Ashley O'Brien.

A jornalista relata que o link para download dos dados é enviado por email e que o processo demorou cerca de 10 minutos. A informação surge segmentada por grupos: “anúncios, informação de contactos, eventos, mensagens, cronologia e muito mais”.

O Facebook preservou também conversas que eu tive com pessoas que eu tentei esquecer. Mas aparentemente não tentei o suficiente”.

Num comunicado citado pelo The Guardian, um porta-voz do Facebook explicou as razões pelas quais é guardada essa informação: “A função mais importante da maior parte das apps e serviços é ajudarem-no a estabelecer conexões e a facilitar a localização das pessoas com as quais deseja se conectar. Assim, na primeira vez que faz login no seu smartphone numa determinada aplicação, é uma prática amplamente usada que o primeiro passo seja partilhar os contatos do seu telefone."

A mesma fonte sublinha que essa partilha é “opcional” e que “é expressamente perguntado às pessoas se querem dar autorização a que sejam partilhados os seus contactos do telemóvel”.

Manuela Micael