A Agência Europeia do Medicamento disse esta segunda-feira que o intervalo máximo de 42 dias entre a primeira e a segunda dose da vacina da Pfizer/BioNTech deve ser respeitado.

A autoridade sublinha que só respeitando esse protocolo, pode a vacina garantir proteção contra o novo coronavírus.

As conclusões da agência surgem após um estudo revelar que a eficácia da vacina só é garantida em administrações de doses com 19 a 42 dias de intervalo entre si. A agência sublinha ainda que a proteção completa só acontece sete dias após a segunda dose.

Qualquer alteração ao modo de aplicação implica uma variação das autorizações comerciais, tal como mais dados clínicos que suportem essas mudanças", afirma a Agência Europeia do Medicamento.