A inteligência artificial está a ganhar espaço à inteligência humana. Que o digam os trabalhadores da empresa japonesa Fukoku Mutual Life Insurance, que vê agora 34 colegas serem substituídos por uma plataforma da IBM, a Watson Explorer AI.

Os trabalhadores substituídos pela plataforma de Inteligência Artificial (AI) tinham a função de digitalizar e ler os documentos de registos hospitalares e arquivo médicos, antes de estabelecer os pagamentos e detetar fraudes. Mas tudo isso passará a ser realizado pela plataforma de forma muito mais rápida.

Em 2035, mais de metade dos empregos no Japão serão substituídos por robôs. São as estimativas do relatório do "Nomura Research Institute" publicado em 2015.

O objetivo é aumentar a produtividade da empresa em cerca de 30% e recuperar o investimento da plataforma em menos de dois anos.

O sistema é baseado no Watson Explorer da IBM que possui tecnologia cognitiva, capaz de pensar como um ser humano, analisar e interpretar todos os dados, incluindo texto não estruturado, imagens, áudio e vídeo" cita o The Guardian.

O investimento inicial teve um custo de 1,7 milhões de dólares e a manutenção vai rondar os 128 mil dólares ao ano. Serão poupados 1,1 milhões de dólares em salários.

Caso a experiência seja um sucesso existe a hipótese de poder vir a ser adotada por mais empresas e órgãos governamentais. 

O El Mundo avança que no próximo mês, também o Ministério da Economia, Comércio e Indústria irá realizar testes de inteligência artificial. A ideia é diminuir a carga burocrática dos ministros e dar respostas mais rápidas.