As agências espaciais europeia, norte-americana e japonesa condensaram numa plataforma digital, esta quinta-feira apresentada, dados de satélite que mostram o efeito do confinamento suscitado pela Covid-19 na qualidade do ar e água e na atividade agrícola, portuária e aeroportuária.

A plataforma "Earth Observation Dashboard – Covid-19" apresenta informação global, regional (para a Europa, Ásia e os Estados Unidos) e local (para 13 países, excluindo Portugal).

A informação disponibilizada agrupa-se em indicadores globais (densidade da população e gases com efeito de estufa), económicos (produtividade dos portos e aeroportos, atividade de construção e produção de bens ou iluminação noturna), agrícolas (área produtiva) e ambientais (qualidade do ar e água e gases com efeito de estufa).

A plataforma reúne dados de satélites de observação da Terra das agências espaciais europeia (ESA), norte-americana (NASA) e japonesa (JAXA).

O confinamento, adotado por muitos países para conter a propagação da pandemia da Covid-19, levou, de acordo com esta ferramenta, a uma redução das emissões de dióxido de carbono na Ásia, Europa e nos Estados Unidos em resultado da paralisação da atividade industrial e da diminuição do tráfego dos transportes.

Na Alemanha, em particular no Estado de Brandeburgo, a área de cultivo de espargos caiu 20% a 30% durante os meses de março e abril.

Em Nova Deli e Mumbai, cidades altamente poluídas na Índia, os níveis de poluição do ar caíram 40% a 50% entre 25 de março e 20 de abril.

Além dos Estados Unidos, Índia e Alemanha, a lista de países para os quais a plataforma dispõe de dados inclui Bélgica, Croácia, França, Itália, Eslovénia, Espanha, Japão, China, Singapura e Bangladesh.

As três agências espaciais prometem, em diante, atualizar a plataforma com novas informações sobre os efeitos da Covid-19 na Terra.

/ HCL