Uma equipa internacional de astrónomos, incluindo o português Nuno Cardoso Santos, anunciou esta segunda-feira a descoberta de 50 novos «exoplanetas», planetas que orbitam em torno de outra estrela que não o Sol, noticia a Lusa.

Revelada na conferência internacional «Extreme Solar Sysrems II», nos Estados Unidos, a descoberta foi anunciada aos 350 peritos em «exoplanetas» presentes no evento.

Entre os 50 novos planetas descobertos pela equipa, 16 são novas «super terras», uma das quais na zona de habitabilidade da sua estrela.

Os planetas foram detectados com auxílio do espetrógrafo HARPS («High Accuracy Radial Velocity Planetary Search»), um equipamento responsável pela detecção de cerca de dois terços de todos os planetas com massa inferior à de Neptuno.

O investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, Nuno Cardoso Santos, que integra a equipa, afirmou que estas descobertas mostram que estão «no bom caminho».

«O HARPS já superou todas as expectativas e é o instrumento com mais detecções de super terras. Isto promete um futuro risonho e cheio de sucesso para o seu sucessor, o Espresso (Echelle SPectrograph for Rocky Exoplanet and Stable Spectroscopic Observations)», declarou Nuno Cardoso Santos.

A equipa analisou a amostra de todas as 376 estrelas do tipo solar observadas pelo HARPS e chegou uma estimativa sobre possibilidade deste tipo de estrelas ter planetas de baixa massa.

É pensado agora que cerca de 40 por cento deste tipo de estrelas terão pelo menos um planeta com massa entre três e cem vezes a massa da Terra, e que a maioria dos planetas com massas semelhantes ou menos que Neptuno estarão em sistemas com múltiplos planetas.