Os Estados Unidos, através do departamento de Justiça, vão processar a Apple e alguns dos maiores grupos de editores como, por exemplo, o Macmillan ou o Penguin. Em causa está o preço dos e-books, escreve a BBC.

O processo quer terminar com o modelo existente até agora e que prevê que os preços dos e-books sejam decididos pelos editores e não pelos revendedores. Algumas editoras chegaram a acordo com o Departamento de Justiça e a ação só irá avançar contra alguns grupos. Entre eles, o gigante tecnológico, Apple.

As autoridades consideram que os editores «conspiram contra a liberdade dos revendedores competirem, entre si, nos preços». O procurador-geral, Eric Holder defende ainda que os consumidores pagam mais do que devem pelos títulos populares.

Além disso, a fórmula de venda dos e-books é diferente da dos livros em papel. No mercado tradicional existe um preço de capa, cobrado a todos os revendedores. Depois, estes decidem o preço final de venda ao público, o que lhes permite competir entre si. Nos e-books, o valor final de venda é decidido pelo editor.