O álcool e o tabaco são dois vícios nocivos para a saúde e têm mais em comum do que se possa pensar. Um estudo, publicado esta semana na revista BMC Public Health, revelou que beber uma garrafa de vinho por semana aumenta o risco de cancro na mesma proporção que fumar 10 cigarros. 

De acordo com a investigação feita por cientistas da Universidade de Bangor, no Reino Unido, a ingestão de uma garrafa de vinho por semana é a causa mais provável do cancro de 10 em cada mil homens que não fumam. Nestes casos, os cancros mais comuns são os do cólo do reto e do estômago.

No caso das mulheres, os números são ainda mais preocupantes: para cada mil mulheres não fumadoras, 14 podem ter como causa do cancro o hábito de beber uma quantidade abusiva de vinho. O cancro cuja probabilidade é maior é o da mama. 

O consumo excessivo de álcool está ligado ao cancro da boca, garganta, esófago, intestino, fígado e mama. Mas, em contraste com o tabagismo, isso não é amplamente compreendido pelo público. Ao usar cigarros como analogia, esperamos transmitir essa mensagem de maneira mais eficaz para ajudar as pessoas a fazerem escolhas de saúde mais informadas”, disse Theresa Hydes, uma das autoras do estudo, ao Daily Mail.

Apesar de o estudo destacar os perigos do consumo de álcool, os resultados mostraram que o tabaco continua a representar um perigo maior para a saúde das pessoas. 

O estudo demonstra que, em relação ao risco de cancro, o tabagismo é substancialmente mais perigoso do que o consumo de álcool. Também é muito mais perigoso em relação a uma série de outras doenças. Se os fumadores estão preocupados com a saúde, a melhor coisa que podem fazer é deixar de fumar”, ressaltou John Britton, diretor do Centro para Estudos sobre Tabaco e Álcool da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, à BBC.

/ BM