Muito se tem questionado sobre quais as vantagens que a toma da vacina da gripe pode ter em relação à covid-19. Ficamos mais protegidos? Reforça a imunidade? Pode prevenir a infeção? 

De acordo com um estudo, ainda que preliminar, realizado nos Países Baixos, a vacina da gripe pode reforçar o sistema imunitário no combate do coronavírus e reduzir até 39% o risco de contágio. Segundo o El País, trata-se do primeiro ensaio científico que analisou os efeitos da vacina da gripe a nível molecular na presença do SARS-CoV-2. 

Em Itália, por exemplo, ficou comprovado cientificamente que os idosos que tinham tomado a vacina da gripe tinham um índice de mortalidade bastante inferior àqueles que não tinham sido vacinados. Existem outros estudos com o mesmo tipo de conclusões, mas ainda não foram revistos por especialistas, nem publicados em qualquer revista científica.

VEJA TAMBÉM:

Esta investigação determinou que a vacina da gripe fortalece a primeira linha de defesa do sistema imunitário - conhecida como imunidade inata, é responsável pela resposta imune inicial que previne a infeção e pode, muitas vezes, ser capaz de eliminar o agente infecioso. Além disso, os especialistas acreditam que tal poderia contribuir para uma maior ligação com a segunda linha de defesa, responsável pela produção de anticorpos, de proteínas que impedem a propagação do vírus e de células capazes de destruir, durantes meses ou anos, o vírus sempre que este reaparecer. 

Mihail Netea, reponsável pelo estudo do Nijmegen University Medical Center, também analisou a incidência em mais de 10.000 profissionais de saúde, dos quais 184 foram infetados no local de trabalho. Os resultados mostraram que o risco de contrair covid-19 é aproximandamente 39% menor naqueles que foram vacinados. 

Este é um estudo epidemiológico, não um ensaio clínico aleatório e prospectivo, pelo que não podemos estar completamente seguros de que a vacina da gripe tenha um efeito tão grande como o observado" e acrescenta "de qualquer maneira, é possível que seja dada esta proteção e que a vacina reduza a disseminação da covid-19".

Há ainda um outro estudo que analisou a vacina da tuberculose e concluiu que esta pode proteger parcialmente contra o coronavírus. Todavia, os estudos com pacientes ainda estão em andamento, o que significa que estas conclusões não são categóricas. Tratam-se apenas experiências que abrem portas a novos estudos. 

Cláudia Évora