Dois estudantes chineses conseguiram enganar a grande tecnológica Apple em centenas de milhares de euros ao enviarem para reparação equipamentos falsificados que, trocados por iPhones verdadeiros, acabaram no mercado de revenda.

Os jovens Yangyang Zhou e Quan Jiang enfrentam agora a justiça norte-americana pela alegada fraude, que rendeu aos estudantes de Oregan, nos EUA, 900 mil dólares, algo como 801 mil euros, conta o jornal local The Oregonian.

De acordo com documentos judiciais a que a imprensa local teve acesso, o negócio dos jovens era enviar pedidos de reparação à gigante tecnológica, entregando para o efeito equipamentos falsos vindos da China.

Nos casos em que a Apple terá concordado com a reparação, enviou aos jovens equipamentos novos, desta vez da gama oficial da marca da maçã.

Com estes, Yangyang Zhou e Quan Jiang procediam à revenda no mercado chinês por preços adequados tendo em conta tratarem-se de equipamentos de origem, selados e prontos a usar.

Descrevem os documentos do tribunal que a empresa norte-americana aceitou 1493 queixas, das 3096 reclamações feitas pela dupla, isto no período compreendido entre abril de 2017, data em que começaram as investigações do alegado esquema de fraude, e março de 2018.