Praticar exercício físico só ao fim de semana pode ser tão eficaz para a saúde como quem faz exercício com maior regularidade. Esta é a conclusão de um novo estudo publicado na revista científica Journal of the American Medical Association.

Atualmente, os especialistas recomendam 150 minutos (cerca de duas horas e meia) de exercício físico moderado ou 75 minutos (uma hora e um quarto) de atividade física intensa por semana.

Porém, não há um consenso sobre a frequência com que se deve praticar exercício: se pelo menos três vezes por semana ou se, por exemplo, só num dia é o suficiente.

Ora, este novo estudo concluiu que nas pessoas que concentram a atividade física no fim de semana – só num dia ou nos dois – o risco de morte prematura diminui tal como nas pessoas que fazem exercício três vezes por semana ou mais.

A investigação envolveu perto de 64.000 pessoas, que foram divididas em quatro grupos: um de pessoas inativas, outro de pessoas que praticam atividade física mas de forma insuficiente, outro de pessoas que praticam atividade física só ao fim de semana e outro de pessoas que fazem exercício regularmente.

O estudo concluiu que as pessoas que só fazem exercício ao fim de semana têm um risco de morte prematura que é 30% mais baixo do que o risco das pessoas inativas. O risco de acidente cardiovascular é 40% mais baixo e o risco de cancro 18%.

Resultados que foram semelhantes no grupo das pessoas que praticam exercício mas de forma insuficiente (o risco de morte é 31% mais baixo) e no caso das que praticam exercício regularmente (o risco é 35% mais baixo).

"É muito encorajador saber que uma pessoa fisicamente ativa, mesmo que só num dia ou em dois dias da semana, tem um menor risco de morte", vincou Emmanuel Stamatakis, da Universidade de Sidney, à AFP. 

Redação