Quarenta pessoas assistiram, em direto no Facebook, à violação de uma rapariga de 15 anos e nenhuma delas alertou a polícia. O caso aconteceu em Chicago, EUA, e está a chocar o mundo.

As autoridades só tiveram conhecimento do que estava a acontecer à jovem - dada como desaparecida a 19 de março - quando a mãe lhes mostrou imagens do vídeo depois de ter sido alertada por um amigo da família.

Segundo o Huffington Post, a polícia acredita que a rapariga foi violada no domingo. A jovem foi apenas localizada na terça-feira e levada para um hospital pediátrico, em Chicago, onde se reencontrou com a mãe.

O porta-voz da polícia, Anthony Guglielmi, contou à Associated Press que os investigadores do caso assistiram ao vídeo que mostra a jovem com seis homens/rapazes. Segundo a mesma fonte, o vídeo é ainda mais perturbador porque "cerca de 40 pessoas viram o que aconteceu em direto e nenhuma delas telefonou à polícia". 

O Facebook só retirou o vídeo do site quando os investigadores contactaram a empresa. Em comunicado, a empresa afirma que "este é um crime hediondo e não permitimos este tipo de conteúdo no Facebook". "Levamos muito a sério a nossa responsabilidade para manter as pessoas seguras e vamos remover vídeos que retratam violência sexual e são partilhados para glorificar a violência".

A investigação prossegue agora e a polícia informou, em comunicado enviado ao jornal, que "está a interrogar suspeitos para investigar a cronologia do crime e a trabalhar para identificar os possíveis agressores".

Até ao momento, ainda não foram identificados nenhuns suspeitos".

As autoridades estão ainda a investigar ameaças feitas à rapariga e à sua família depois de ter sido apresentada queixa nas autoridades. Segundo a polícia, as ameaças têm sido feitas online e há quem se tenha dirigido à casa da jovem à sua procura, o que levou as autoridades a abrirem "investigações paralelas".

Andreia Miranda