A farmacêutica Pfizer e a alemã Biopharmaceutical New Technologies (BioNTech), que desenvolve imunoterapias para doentes com cancro, doenças infeciosas e doenças raras, estão a trabalhar em conjunto para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. 

Dependendo do sucesso do desenvolvimento desta potencial vacina e da sua aprovação por parte das autoridades regulamentares, existe o potencial de disponibilização de milhões de doses até ao final de 2020, e a possibilidade de um aumento de produção para centenas de milhões de doses em 2021", informam as empresas em comunicado. 

A fase de ensaios clínicos em humanos poderá avançar ainda no final deste mês de abril, sublinham, inicialmente nos Estados Unidos e na Europa, "após obtenção das necessárias aprovações regulamentares". 

A BioNTech e a Pfizer vão trabalhar em conjunto, de forma a aumentar a capacidade de produção, para posteriormente dar resposta à necessidade originada pela pandemia e para disponibilizar, se for aprovada, a vacina em todo o mundo", refere a nota enviada à imprensa. 

"Caso seja aprovada, as duas dompanhias irão comercializar em conjunto a vacina em todo o mundo (exceto na China, onde existe uma parceria entre a BioNTech e a Fosun Pharma)", esclarecem. 

Bárbara Cruz