O papagaio maior do mundo, com quase um metro de altura e sete quilos de peso, viveu há 19 milhões de anos num sítio que corresponde à Nova Zelândia, onde foram descobertos fósseis da ave, foi hoje divulgado.

O papagaio recebeu o nome de "Héracles inexpectatus", numa referência ao deus-herói da mitologia grega Héracles (Hércules, na mitologia romana), conhecido pela sua força física e bravura, e à descoberta inesperada da ave, a partir de ossos de uma pata encontrados em 2008 perto da cidade de Saint Bathans, na Ilha do Sul da Nova Zelândia.

Os resultados do estudo dos fósseis, feito este ano por uma equipa de paleontólogos da Austrália e da Nova Zelândia, foram publicados hoje pela revista da especialidade Biology Letters, editada pela Royal Society, organização científica britânica.

O papagaio gigante provavelmente não voava e comia sobretudo plantas, muito embora as dimensões do seu bico possam antever que pudesse alimentar-se de outras coisas, inclusive aves mais pequenas. O seu 'habitat' era uma floresta rica em muitas espécies de palmeiras e louros.

O "Héracles" tem perto de duas vezes o tamanho do 'kakapo'(papagaio-mocho), uma espécie de ave endémica da Nova Zelândia e que era considerada o maior papagaio conhecido no mundo.

A jazida onde foram encontrados os vestígios do papagaio gigante - conhecida por albergar fósseis de aves da época geológica do Mioceno, entre cerca de 24 milhões de anos e cinco milhões de anos - é vista como a única janela para o 'habitat' de animais que viveram na atual Nova Zelândia desde que os dinossauros se extinguiram da Terra há 65 milhões de anos.

A Nova Zelândia é conhecida pelas suas aves não voadoras com dimensões imponentes, como a moa, parecida com a avestruz, chegando a medir 3,6 metros de altura, e que desapareceu no final do século XVIII.