Um grupo de residentes de Jacarta, a capital da Indonésia, vai processar o governo e o presidente do país, Joko Widodo, por causa da poluição atmosférica, que se tem intensificado na cidade.

De acordo com o que foi revelado pela advogada do grupo, Ayu Eza Tiara, à CNN, 31 cidadãos juntaram-se na semana passada para dar entrada com este processo que visa o presidente, o ministro da Saúde, o ministro da Administração Interna, o ministro do Ambiente e ainda o governador de Jacarta, Anies Baswedan.

O grupo reúne ativistas e cidadãos comuns da capital da Indonésia, incluindo académicos, empresários e artistas.

Os níveis de poluição atmosférica em Jacarta têm aumentado drasticamente nos últimos dois anos.

De acordo com a base de dados do governo norte-americano, o índice de qualidade do ar em Jacarta era de 74 em junho de 2017 e aumentou para 148 em junho deste ano. No dia 14 de junho, o indíce foi de 189 – superior ao de cidades como Pequim, na China, ou Nova Deli, na Índia.

Para se ter uma ideia do significado destes valores, as autoridades norte-americanas explicam que quando o ar tem um índice entre 0 e 50 não há perigo para a saúde, quando se situa entre 50 e 100 é aceitável, mas já pode ter impacto negativo numa minoria, entre 101 e 150 pode ter efeitos na saúde de grupos mais vulneráveis e entre 151 e 200 o ar não é saudável e pode ter efeitos mais graves.

Apesar destes dados, o governo indonésio rejeita a ideia de que tenha havido uma degradação da qualidade do ar em Jacarta no último ano e apelou aos media para não dramatizarem a situação.

De resto, o diretor do centro de controlo da poluição do ar, Dasrul Chaniago, afirmou que não reconhece os dados norte-americanos porque estes são medidos dentro de portas e não no exterior.

Chaniago frisou ainda que a qualidade do ar tende sempre a piorar na época seca, entre maio e setembro.

Não dramatizem a situação”, pediu à imprensa.

Mas os residentes de Jacarta não aceitam estas explicações e por isso decidiram avançar para um processo legal.

Temos tentado mostrar ao governo o quão má é a poluição do ar e o seu impacto, mostrando-lhes dados e investigações. Mas eles deram-nos sempre uma resposta negativa”, concluiu a advogada Ayu Eza Tiara.

Nas redes sociais, têm sido partilhadas imagens da poluição atmosférica sob a hashtag #SetorFotoPolusi.

Uma utilizadora mostrou a evolução da degradação da qualidade do ar, a partir da vista do seu escritório.