Melhorar a memória através da colocação de implantes Bluetooth no cérebro é a nova aposta de Elon Musk, patrão da Tesla e da SpaceX, que já investiu 100 milhões de dólares na tecnologia.

Até ao final do próximo ano, Musk acredita que a sua startup Neuralink poderá realizar os primeiros testes, que compara à conhecida cirurgia ocular Lasik, necessitando apenas de anestesia local.

Através dos implantes será possível ao utilizador ter competências telepáticas e regenerativas.

Em conferência de imprensa, realizada na terça-feira, Elon Musk explicou que estes implantes são chips minúsculos, conectados a 1000 fios medindo um décimo da espessura de um fio de cabelo humano.

O chip terá uma porta USB-C, do mesmo tipo dos Macbooks da Apple, que fará ligação, via Bluetooth, a um pequeno computador posicionado sobre a orelha e a um telemóvel, controlado pelo paciente.

Se vamos colocar algo no cérebro, convém que não seja grande”, observou.

E, segundo Musk, podem ser colocados até dez chips num cérebro.

A sua colocação será através de um robot, que também será desenvolvido pela Neuralink, operado por um cirurgião.

O interface [dispositivo de ligação] do chip é wireless, por isso não haverá fios a sair da cabeça. Isso é muito importante”, garantiu.