O Ministério da Saúde chinês proibiu o uso de castigos físicos para curar o vício da Internet nos jovens. A medida surge meses depois de um rapaz ter sido espancado até à morte num acampamento de reabilitação, de acordo com a Reuters.

Os encarregados de educação chineses procuram organizações para os ajudarem no tratamento dos seus filhos. No entanto, muitos desses campos utilizam uma atmosfera militar para tentarem curar os seus pacientes, que são obrigados a substituir horas à frente de um computador por exercícios físicos árduos e tratamentos extremos.



«Ao intervir para evitar o uso impróprio da Internet, deveríamos (...) proibir estritamente a restrição da liberdade pessoal e os castigos físicos», declarou o ministério.

Em Agosto, Deng Senshan, de 15 anos, morreu horas depois de ter entrado num acampamento de reabilitação de Internet, na região de Guangxi, no sudoeste da China.

O governo chinês já tinha proibido, em Julho, a terapia com choques eléctricos para tratar o vício da Internet.