"O tráfego de banda larga móvel aumentou 6,1% no mesmo período, tendo o tráfego gerado pelas placas/modem crescido 4,1% e o tráfego gerado através de 'smartphones' [telemóveis inteligentes] aumentado 10,6%", adianta.


"O ADSL continua a ser a principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa (35,6% do total) - muito próxima do modem cabo (34,5%) -, embora tenha sido a única tecnologia em que se verificou um decréscimo do número de assinantes (-1,5% face ao trimestre anterior)", refere a Anacom.


"O maior contributo para o crescimento do número de acessos tem sido dado pela fibra ótica - FTTH/FTTB (mais 7,5% neste trimestre e mais 35,3% em termos homólogos)", refere o regulador.






O número de utilizadores que usaram efetivamente a Internet em banda larga móvel ascendeu a 4,8 milhões em junho, uma subida de 22% em termos homólogos e de 3,8% face ao primeiro trimestre.

"A evolução da banda larga móvel tem sido impulsionada, sobretudo, pelo aumento do número de utilizadores de 'smartphones', que neste trimestre já representam 62,2% do total de utilizadores de telemóvel (um crescimento de 16,3 pontos percentuais face ao trimestre homólogo)", aponta o regulador.










"Quanto ao tráfego de Internet móvel, é onde se verifica menor assimetria na distribuição de quotas de mercado, tendo a NOS o valor mais elevado, com 37,6%, seguindo-se a Vodafone e a Meo com 32,1% e 30,3%, respetivamente", disse.

"As receitas provenientes do serviço de acesso à Internet fixo 'stand-alone' e de pacotes de serviços que incluem este serviço totalizaram, nos primeiros seis meses de 2015, cerca de 742,1 milhões de euros", acrescentou.