Uma equipa internacional de cientistas vai investigar a origem do SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19, e promete analisar se a doença foi ou não criada em laboratório. 

A equipa foi formada no âmbito da Lancet Covid-19 Comission, uma comissão da revista científica criada em julho passado e que, segundo o Telegraph, promete oferecer "soluções práticas" para a pandemia e recomendações para que uma próxima pandemia possa ser evitada ou melhor combatida. 

Há várias teorias da conspiração que defendem que o vírus da covid-19 foi criado num laboratório em Wuhan e muitas dessas foram mesmo amplificadas por líderes mundiais como Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos chegou a dizer que "tinha provas" de que o vírus fora criado artificalmente, apesar de a Organização Mundial de Saúde ter afirmado várias vezes que o vírus era de origem natural. 

Quanto à origem do vírus em Wuhan, ouvimos muitos cientistas que o estudaram e temos a certeza de que é de origem natural", afirmou o diretor dos programas de emergência da OMS, Michael Ryan, em maio passado. 

A equipa da Lancet que vai agora estudar o novo coronavírus será liderada por Peter Daszak, um zoólogo britânico especialista em doenças que passam da espécie animal à humana. 

Ao Telegraph, Daszak garantiu que ele e a sua equipa irão "examinar sistematicamente todas as teorias" sobre a origem do vírus com "uma mente aberta". Mas assinala que é improvável que seja possível dizer com "certeza absoluta" como é que o vírus surgiu. 

Mas o que podemos fazer é olhar para cada teoria possível sobre a origem da covid-19 e dizer 'quais são as provas para isto' e juntar todas as teorias e dizer 'quais são as provas preponderantes'", explicou. 

A própria comissão da Lancet, numa declaração em que detalha a sua missão, ressalva que, até ao momento, as provas indicam que o SARS-CoV-2 é um vírus de origem natural mas acrescenta que os investigadores irão examinar "a possibilidade de envolvimento de um laboratório".

Bárbara Cruz