John Paulson, cofundador da sociedade de investimentos norte-americana The Carlyle Group, qualifica as criptomoedas de “bolha sem valor”, admitindo que “não recomendaria a ninguém” investir na moeda digital, porque acabará por se revelar “inútil”.

Em entrevista à Bloomberg TV, o empresário multimilionário, de 65 anos, conhecido por ter ganhado 20 mil milhões de dólares (cerca de 17 mil milhões de euros) na crise do mercado imobiliário norte-americano 'subprime', em 2008, disse que a “Bitcoin se reduzirá a zero”.

Diria que as criptomoedas são uma bolha. Descrevê-la-ias como um fornecimento limitado de nada. Havendo mais procura do que oferta, os preços sobem. Mas se a procura cair, os preços baixam”, salientou John Paulson.

Para o investidor, as criptomoedas carecem de “valor intrínseco” e vão acabar por não ter valor, independentemente da sua cotação atual.

Quando a força passar ou a liquidez secar, elas vão chegar a zero. Não recomendaria a ninguém a investir em criptomoedas”, frisou.

John Paulson explicou ainda que seria um risco apostar em criptomoedas, como apostou no 'subprime' há 13 anos.

Nas criptomoedas, há desvantagens ilimitadas. Embora eu pudesse estar certo a longo prazo, a curto prazo seria aniquilado. No caso da Bitcoin, passou de 5.000 dólares [cerca de 4.240 euros] a 45.000 dólares [38.140 euros]. É muito volátil para ser vendida”, acrescentou.

À Bloomberg, John Paulson lembrou que ainda não encontrou nada “tão bom” como o 'subprime', indicando que apostar em títulos da dívida dos Estados Unidos da América (EUA) aparece hoje como uma excelente alternativa.

Não encontrei nada que seja tão assimétrico como este negócio. […] A área que está hoje mais valorizada é o crédito. A inflação atual é muito superior aos rendimentos a curto prazo e no mercado existe a perceção que isto é transitório. Acho que se acredita no argumento federal de que é apenas temporário devido à retoma da economia, que eventualmente irá abrandar”, observou.

De acordo com o cofundador da The Carlyle Group, nesse cenário, existem várias estratégias de opções relacionadas com títulos e com taxas de juros que podem oferecer rendimentos muito elevados.

John Paulson considerou também ser vantajoso investir no ouro, atualmente.

O investidor adiantou ainda que a oferta de moeda aumentou cerca de 25% no ano passado.

[…] O melhor indicador de inflação é a oferta de moeda. Acho que temos uma inflação bem acima das expectativas atuais”, afirmou.

/ NM