Astrónomos descobriram os dois mais pequenos planetas fora do Sistema Solar, com dimensões semelhantes à Terra e a orbitar uma estrela parecida com o Sol, revela hoje a revista científica «Nature», citada pelas agências internacionais.

O método de precisão usado permitiu à sonda norte-americana Kepler, da NASA, detectar os pequenos exo-planetas [planetas fora do sistema solar], que orbitam uma estrela batizada como Kepler 20.

O diâmetro de um dos pequenos planetas ultrapassa pouco mais (três por cento) o da Terra e o do outro é ligeiramente mais pequeno (três por cento).

Bem mais próximos da sua estrela do que a Terra do Sol, os dois novos exo-planetas percorrem a sua órbita em menos de uma semana ou um mês. São rochosos como a Terra, mas as suas temperaturas à superfície são demasiado elevadas para permitir vida.

O sistema extra-solar da estrela Kepler 20, situado a mil anos-luz da Terra, inclui mais três planetas, maiores, com tamanho similar ao de Neptuno.

De acordo com os astrónomos, apenas três exo-planetas se encontram em «zona habitável», onde a água pode ser detectada em estado líquido e, desta forma, a vida ser possível: Kepler 22, a cerca de 600 anos-luz da Terra, e Gliese 581d e HD 85512b, a dezenas de anos-luz do «planeta azul».

Lançada em Março de 2009, a sonda Kepler tem por missão observar mais de cem mil estrelas semelhantes ao Sol, visando a detecção de planetas-irmãos da Terra susceptíveis de acolher vida.

O aparelho já descobriu 28 exo-planetas e recenseou 3.326 «planetas candidatos», que continuam por confirmar por outros métodos.