O cérebro das mulheres permanece jovem durante mais tempo do que o dos homens. Esta é a conclusão de um novo estudo da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

Os investigadores concluíram que, em indivíduos com a mesma idade, o cérebro,do ponto de vista do seu metabolismo, é mais jovem nas mulheres do que no homens.

O metabolismo cerebral consiste numa série de reações bioquímicas, alimentadas por oxigénio e glicose. São estas reações que permitem realizar diferentes atividades como caminhar ou resolver um problema matemático.

Mas, com a idade, o metabolismo do cérebro vai ficando mais lento e, aparentemente, isso acontece de forma diferente nos homens e nas mulheres.

O metabolismo cerebral pode-nos ajudar a compreender algumas diferenças que vemos entre homens e mulheres à medida que envelhecem”, explicou o médico Manu Goyal, coautor do estudo, em comunicado.

Para realizarem este estudo os investigadores analisaram os cérebros de 205 homens e mulheres, com idades entre os 20 e os 82 anos.

Os cientistas criaram um algoritmo para calcular a idade de uma pessoa segundo o seu metabolismo cerebral.  

Foi este algoritmo que apontou que as mulheres tinham, em média, menos 3,8 anos do que as suas idades cronológicas, enquanto os homens tinham 2,4 anos a mais.

Esta diferença entre os dois sexos foi identificada até nos participantes mais jovens.

Mas há algo que os cientistas ainda não sabem: o que explica estes resultados. Numa entrevista à rádio americana NPR, Goyal afirmou que ainda não é claro porque é que isto acontece. O especialista admitiu que possa haver questões hormonais e genéticas na base destes resultados, mas é preciso ir mais longe, com novos estudos, para aprofundar o tema.

Por isso, a equipa liderada por Manu Goyal vai agora debruçar-se sobre estas conclusões, procurando entender o que significam.