Jonny Kim, de 37 anos, tornou-se o primeiro astronauta da NASA americano-coreano. No entanto, para chegar ao patamar onde está hoje, teve de mudar três vezes de emprego, sair da sua zona de conforto e trabalhar muito. 

Depois de terminar o ensino secundário, aos 19 anos, Jonny decidiu alistar-se na Marinha dos Estados Unidos.

Entrar na Marinha foi a melhor decisão da minha vida, porque transformou completamente aquele rapaz assustado que não tinha sonhos para alguém que começou a acreditar em si próprio, afirmou o astronauta, citado pela estação NBC.

Dentro da Marinha, fez principalmente parte dos SEAL, que são frequentemente deslocados pelo mundo em operações. Posteriormente, também foi Médico de Operações Especiais de Combate e sniper em 100 missões de combate, em dois destacamentos no Médio Oriente.

Mas tudo mudou, quando viu os seus amigos a morrer em combate. Jonny decidiu inscrever-se na Escola Médica de Harvard, onde se especializou em medicina de emergência, depois de ter tentado ajudar um amigo que tinha sido baleado na cara: "Não havia muito que eu pudesse fazer, apenas certificar-me de que a sua hemorragia não obstruía as vias respiratórias, certificando-se de que estava bem posicionado. Ele precisava de um cirurgião. Ele precisava de um médico e eu acabei por levá-lo a um, mas esse sentimento de impotência foi muito profundo para mim”, explicou, numa entrevista à revista Harvard Gazette.

Em junho de 2017, Jonny increveu-se na NASA e foi entretanto selecionado para o Grupo de Astronautas da NASA 22 entre mais de 18 mil candidatos.

Fiquei contente, alegre, entusiasmado - todas estas emoções", expressou o astronauta, no momento em que descobriu que tinha sido selecionado pela NASA.

Depois de dois anos de formação, no dia 10 de janeiro de 2020, tornou-se oficialmente um astronauta. Foi escolhido para servir na Expedição 65, que vai servir para aumentar a Estação Espacial Internacional.

Desde 2017 fez vários treinos, incluindo na área da robótica e da psicologia. É fluente em russo e tem experiência em práticas geológicas no campo.

Um verdadeiro privilégio e honra de caminhar entre o Corpo de Astronautas NASA com os meus irmãos e irmãs. Sabemos que há por aí muitos candidatos qualificados e merecedores - nós somos os afortunados por representar a humanidade. Vamos trabalhar para um futuro melhor para o nosso mundo e para os nossos filhos", escreveu na rede social Twitter.

 

Aos 37 anos, Jonny Kim já recebeu vários prémios e distinções, dos quais se contam os seguintes: medalha estrela de bronze e prata de Combat "V", comenda da Marinha e dos Fuzileiros e outras condecorações ligadas às Forças Armadas e à medicina.

Redação / IC