Um novo planeta poderá estar a nascer a 520 anos-luz da Terra. Esta é pelo menos a convicção de um grupo de astrónomos que captou imagens do que se pensa ser o nascimento de um novo planeta.

As imagens foram captadas com o supertelescópio do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), que é o maior do mundo, localizado no deserto do Atacama, no Chile.

Os cientistas observavam a jovem estrela AB Aurigae, quando detetaram um denso disco de poeira e gás à sua volta.

No fundo desse disco, foi possível identificar uma estrutura em espiral, proeminente, com uma espécie de nó perto do centro. Ora, estas características podem ser um sinal de que um novo planeta se está a formar.

Se a hipótese se confirmar, esta é a primeira vez que os cientistas captam imagens do nascimento de um planeta.

Anthony Boccaletti, que liderou o estudo realizado pelo Observatório de Paris, explicou que, até aqui, já foi possível identificar milhares de exoplanetas. No entanto, sabe-se pouco sobre como é que estes se formam.

Isto acontece porque, no passado, devido às limitações tecnológicas, era muito difícil obter imagens de grande nitidez e profundidade.

Precisamos de observar sistemas muito jovens para capturar o momento em que os planetas se formam”, sublinhou.

O estudo foi publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics.

Sofia Santana