A Rússia espera registar uma segunda potencial vacina contra a covid-19 a 15 de outubro. De acordo com a Reuters, a notícia foi avançada esta terça-feira pela agência de notícias russa TASS, que, por sua vez, cita o organismo do governo responsável pela segurança dos consumidores.

A vacina está a ser desenvolvida pelo Instituto Vector, na Sibéria, e completou a primeira fase de ensaios clínicos em humanos na semana passada.

Recorde-se que a Rússia registou uma primeira vacina, desenvolvida por um instituto de Moscovo, em agosto. Os ensaios clínicos finais para essa vacina, que envolvem 40.000 pessoas, ainda decorrem.

O governo russo planeia vacinações em massa já em outubro, ainda que sem completar os ensaios clínicos, o que está a preocupar os cientistas.

Cientistas de vários países dizem que a corrida precipitada às vacinas contra o novo coronavírus pode ter um efeito negativo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já fez saber que não será recomendada nem utilizada uma vacina para a covid-19 se não for comprovada a sua eficácia e segurança.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 961.531 mortos e mais de 31,1 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios.

Em Portugal, morreram 1.920 pessoas dos 69.200 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Sofia Santana