A empresa russa que criou a aplicação de telemóvel que envelhece as pessoas garante não vender nem partilhar dados com terceiros. Ainda assim, nos Estados Unidos há pedidos de investigação no FBI.

No início da semana, a Wireless Lab foi acusada de armazenar dados pessoais dos utilizador da aplicação FaceApp e de os partilhar com os serviços de inteligência de Vladimir Putin.

Esta quinta-feira, a empresa explicou que a maioria das imagens são apagadas dos servidores ao fim de 48 horas e que em momento algum partilharam os conteúdos ou dados pessoais dos utilizadores com terceiros.

Apesar do esclarecimento, nos Estados Unidos há um senador em Nova Iorque que considera "preocupante" a forma como os dados são tratados e pediu ao FBI para investigar.