Depois de 470 milhões de quilómetros, a sonda Perseverance da Nasa completa a sua viagem a Marte no dia 18 de fevereiro de 2021. Mas, para chegar à superfície do Planeta Vermelho, precisa de primeiro sobreviver à angustiante fase final conhecida como “Entrada, Descida e Aterragem”.

A perigosa aterragem que o Perseverance enfrentará em Marte foi destacada num vídeo dramático publicado pela Nasa.

O vídeo mostra como a nave que carrega a sonda terá que executar uma série complexa de manobras no momento em que se lança em direção ao Planeta Vermelho, a uma velocidade média de 20 mil quilómetros por hora. 

Apenas 40% das missões da agência espacial a Marte aterraram com sucesso, sublinha a NASA em comunicado, acrescentando que “centenas de coisas têm de correr bem durante este momento digno de se roer as unhas”.

A dificuldade é agravada pelo facto de a sonda demorar 11 minutos a transmitir informações para o centro de comunicações na Terra, um tempo que impossibilita que comunique durante o processo de aterragem e que implica que a máquina atue autonomamente.

 

Dez minutos antes de aterrar, a sonda “liberta-se” de parte do equipamento e os jatos impulsionam-no para a superfície de Marte. 

 

A atmosfera de Marte também começará a desacelerar a nave, ao mesmo tempo que a aquece até temperaturas em torno dos 1.300ºC. 

Assim que a sonda tiver reduzido a velocidade para 1.600 quilómetros por hora, um paraquedas de 21,5 metros de diâmetro é lançado para desacelerar ainda mais a máquina.

Depois de o paraquedas abrir, um escudo térmico é derrubado, permitindo que os instrumentos dentro da sonda cheguem ao planeta. A sonda utiliza ainda uma câmera a bordo para navegar até a superfície.

 

 

Porém, o paraquedas só pode diminuir a velocidade do Perseverance para 320 quilómetros por hora, após o qual se libertará. Conforme a sonda se aproxima da superfície, os motores dos jatos empurram-na para desacelerar para uma velocidade de até 2,7 quilómetros por hora.

Cerca de 12 segundos antes de aterrar, o Perserverance lança cabos em direção à superfície de Marte e ativa um sistema de deslocação composto por rodas e pernas mecânicas. 

A sonda planeia aterrar na cratera de Jezero para procurar sinais de vida microbiótica em Marte.