Depois de uma drástica diminuição da poluição devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19, imagens de satélite mostram agora que os níveis estão a voltar aos números pré-pandemia.

De acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA, a sigla em inglês), à medida que as restrições são levantadas em alguns países e a população volta às suas rotinas diárias, os níveis de dióxido de azoto – comummente causado pela poluição dos carros – estão a aumentar novamente.

Para ilustrar tal situação, a ESA divulgou imagens da China como exemplo, uma vez que o país teve uma “redução significativa dos níveis de poluição” no ano passado.

Agora, mais de um ano depois, à medida que as restrições diminuíram, o nível médio de poluição atmosférica está a aumentar novamente”, referiu a ESA.

Por exemplo, entre fevereiro de 2019 e fevereiro de 2020, as concentrações de dióxido de azoto em Pequim caíram quase 35%. E em Chongqing, outro grande município chinês, a queda foi de 45%. No entanto, Pequim voltou a níveis semelhantes aos que tinha e Chongqing praticamente duplicou os números pré-covid.

Esperávamos que a poluição do ar se recuperasse à medida que as restrições fossem suspensas em todo o mundo", disse Claus Zehner, um dos responsáveis da missão Copernicus Sentinel-5P da ESA, em comunicado. 

 

As concentrações de dióxido de azoto na atmosfera não dependem apenas da atividade humana. As condições climatéricas, como a velocidade do vento, também afetam esses níveis. Nas próximas semanas e meses, esperamos aumentos também na Europa”.

Redação