Os piratas informáticos conseguiram contornar o sistema de controlo de conteúdos pornográficos proibidos no YouTube. Os vídeos são importados em "Privado" e usam o link num site próprio para partilhar conteúdos proibidos pela plataforma. Conseguem desta forma contornar os sistemas de segurança e partilhar milhares de vídeos piratas de forma totalmente grátis.

O YouTube tem vários controlos em ação para evitar que alguns tipos de conteúdos considerados para "maiores de 18 anos" sejam partilhados nos seus servidores. Entre eles, encontram-se conteúdos violentos, filmes com direitos de autor cujo proprietário não tenha autorizado a divulgação ou conteúdo pornográfico, mas há utilizadores a dar a volta ao software de reconhecimento.

O site TorrentFreak avança que os hackers usam o YouTube para guardar aquele tipo de conteúdos através de uma conta que criam para publicar os vídeos em modo “privado”. Depois de colocados em privado, os vídeos não aparecem nas listas do YouTube. Isto significa que não se chega até eles se se utilizar a ferramenta de pesquisa do site, mas o link pode ser incorporado num outro site que redireciona o vídeo para o YouTube geralmente associado ao domínio GoogleVideo.com, reporta ainda o TorrentFreak.

A simplicidade do processo tem feito com que isto aconteça não apenas com vídeos pornográficos, mas também com outro tipo de conteúdos pirateados.

Com esta lacuna no sistema, há produtores de conteúdos que se têm mostrado preocupados, uma vez que estes vídeos são difíceis de encontrar e remover do sistema, nos casos de utilização indevida de material com direitos de autor.

Assim que são descobertos, os conteúdos ilegais são removidos. Mas até lá, circulam na Internet, por vezes, durante várias semanas. 

Redação / JT