Alemanha, Bélgica, França ou Suécia são os países que já voltaram atrás na recomendação relacionada com a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca, cuja administração tinha sido desaconselhada aos utentes maiores de 65 anos.

Esta quinta-feira, segundo o jornal Ekathimerini, o governo grego anunciou que ia rever a norma, passando a aconselhar a maiores de 65 anos.

Em causa estava a falta de conhecimento científico sobre quais os verdadeiros efeitos da vacina na população mais idosa, que não foi incluída nos ensaios clínicos. Mas, após terem sido realizados novos estudos, são muitos os países que estão a atualizar a recomendação.

Recorde-se que a recomendação seguida pela Direção-Geral da Saúde está em prática desde 8 de fevereiro e refere que esta vacina deve ser preferencialmente utilizada para pessoas até aos 65 anos de idade.

Contactada pela TVI, a Direção-Geral da Saúde remete para a norma que está atualmente em vigor.

Até novos dados estarem disponíveis, deve ser preferencialmente utilizada para pessoas com 65 ou menos anos de idade. 
Em nenhuma situação deve a vacinação de uma pessoa com 65 ou mais anos de idade ser atrasada se só estiver disponível a COVID-19 Vaccine AstraZeneca. Em nenhuma situação deve a vacinação de uma pessoa com 65 ou menos anos de idade ser atrasada se só estiver disponível uma vacina de mRNA"
, refere a autoridade.

Apesar disso, a Direção-Geral da Saúde diz que "esta recomendação poderá ser atualizada na medida em que forem sendo conhecidos resultados de estudos complementares".

Na semana passada, e depois de o Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças ter revelado que Portugal já tinha administrado 30 doses de vacina da AstraZeneca a maiores de 70 anos, o especialista em vacinação do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa (IMM), Miguel Prudêncio, afirmava não estar preocupado com a administração da vacina da AstraZeneca em cidadãos maiores de 65 anos.

Segundo o especialista, o surgimento de novos dados, que comprovam a segurança do produto naquela faixa etária, apontam que os reguladores e autoridades devem rever as atuais recomendações em breve. Aliás, a Agência Europeia do Medicamento já o fez, tal como a Organização Mundial de Saúde.

É possível dizer com segurança que a vacina [da AstraZeneca] é eficaz nestas idades", afirma Miguel Prudêncio.

Isto foi o que foi dito há uma semana, mas até agora a norma mantém-se.

Também a Ordem dos Médicos recomendou que a norma fosse revista, defendendo a vacinação dos maiores de 65 anos.

A vacina da AstraZeneca está a ser utilizada no Reino Unido sem quaisquer restrições, tendo sido aprovada no país ainda em 2020, no dia 30 de dezembro, um mês antes de ser aprovada na União Europeia.

Em sentido contrário, os Estados Unidos só prevêm a aprovação desta vacina em meados de abril.

Espanha, Eslovénia, Polónia, Dinamarca e Áustria também desaconselharam a vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos, mas ainda não reviram essa norma.

António Guimarães