Restaurantes, cafés, hotéis, centro comerciais, praças e espaços culturais e desportivos concentram os mais de 1.600 pontos públicos de acesso sem fios à Internet («hotspots wi-fi») em Portugal, número duplicou em três anos.

Actualmente instalada em quase 232 mil pontos pagos ou gratuitos de 134 países, segundo dados da JiWire - entidade internacional que identifica «hotspots» - a tecnologia «wi-fi» permite o acesso em banda larga via rádio até uma distância de 100 a 300 metros.

Com um portátil, o utilizador pode trabalhar «online» fora do escritório ou de casa, sem perdas de tempo e podendo optar pelo local que lhe for mais conveniente.

Cada vez mais concelhos adoptam a nova tecnologia

Em Portugal, o serviço começou a ser comercializado em 2004 pela PT Wi-Fi, empresa do grupo Portugal Telecom e actual líder do mercado, cuja rede «wi-fi» da TMN integra mais de 1.500 zonas, 143 das quais resultantes de parcerias estratégicas específicas e, por isso, gratuitas.

«A utilização do serviço tem tido grande adesão por parte dos utilizadores. Estamos constantemente a aumentar o nosso número de zonas 'wi-fi'. No ano passado houve um acréscimo de 300 novas zonas e para 2008 prevê-se um acréscimo idêntico», explica um responsável da PT Wi-Fi, que instalou o primeiro ponto de acesso no aeroporto de Lisboa.

«Muitas empresas contactam a TMN para a realização de parcerias para a disponibilização do serviço no seu espaço. Outras vezes é a TMN que identifica os locais com potencial e propõe uma parceria», acrescenta.

Internet sem fios atraí visitantes

Também a Vodafone tem vindo a aumentar a quantidade de «hotspots», totalizando hoje 147 locais, com especial incidência em hotéis (cerca de 100).

No caso da Optimus/Clix/Novis, da Sonae, a extensão da rede «wi-fi» não registou alterações significativas nos últimos três anos ¿ quem tiver um portátil pode continuar a aceder gratuitamente à Internet em vinte centros comerciais daquele grupo empresarial, como o AlgarveShopping, o GuimarãesShopping ou o Parque Atlântico (Ponta Delgada).

Somadas as três principais operadoras de telecomunicações, os portugueses têm à disposição mais de 1.660 pontos públicos de acesso sem fios, cerca do dobro dos menos de 900 que a consultora Internacional Data Corporation (IDC) registava em 2005.

Apesar do aumento, Portugal ainda não integra a lista dos dez países com maior número de «hotspots», na qual os Estados Unidos (com mais de 62.700) e a Suíça (com quase 4.000) ocupam, respectivamente, a primeira e a décima posições.
Redação / AIS