A primavera acaba de chegar, trazendo mais calor e dias mais compridos que as noites.

O Equinócio da Primavera ocorreu às 09:37 deste sábado, hora de Portugal continental, marcando o início desta estação no Hemisfério Norte, de acordo com o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Esta estação prolonga-se por 92,7465 dias até ao próximo Solstício que ocorre no dia 21 de junho às 03:32 horas", indica o Observatório, referindo-se, ainda, ao início do verão.

O equinócio marca o momento em que o Sol se desloca do Hemisfério Sul para o Hemisfério Norte, dando início ao outono no Hemisfério Sul (África, Oceânia e América do Sul, por exemplo) e à primavera no Hemisfério Norte.

Os equinócios ocorrem duas vezes por ano, na primavera e no outono, nas datas em que o dia e a noite têm igual duração. A partir daqui até ao início do outono, o comprimento do dia passa a ser maior do que a duração da noite, devido ao Sol percorrer um arco mais longo e mais alto no céu todos os dias, atingindo uma altura máxima no início do Solstício de Verão. É exatamente o oposto no Hemisfério Sul, onde o dia 20 de março marca o início do Equinócio de Outono", explica o OAL.

Apesar de muitos associarem o início da primavera ao dia 21 de março, uma vez que o equinócio também ocorria nesta data, desde 2008 que se tem mantido no dia 20.

Isto explica-se devido ao período de translação da Terra não ser de exatamente 1 ano (365 dias) mas de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 48 segundos. Assim, num dado ano, a Terra atinge o ponto orbital correspondente ao equinócio cerca de 5h49 mais tarde do que no ano anterior, ocorrendo o equinócio cada vez mais tarde. Ao fim de 4 anos, a diferença acumulada seria já de quase 1 dia (23h16 em média). No entanto a aplicação da correção do ano bissexto ao fim de 4 anos faz com que a data recue 1 dia. Assim, ao fim de um ciclo de 4 anos, a data do equinócio atrasa cerca de 44 minutos. Isto significa que ao fim de cerca de 30 ciclos de 4 anos a data recua 1 dia completo. Foi isto que aconteceu nas últimas décadas, em que a data ia oscilando entre os dias 21 e 20 até que em 2008 se fixou no dia 20, indo manter-se neste dia até 2044", esclarece o Observatório.

A partir de 2044, a primavera vai oscilar entre o dia 20 e o dia do pai.

A partir de 2044 vai começar a oscilar entre os dias 20 e 19. No entanto este efeito não vai continuar para sempre, com as datas a recuarem cada vez mais. Isto porque o ano 2100 não vai ser bissexto, permitindo ter uma sequência de 7 anos não bissextos. Isto é suficiente para que a data não recue mais e a oscilação entre 20 e 19 passe a uma oscilação entre 21 e 20 logo a partir de 2100. Assim, com estas 2 correções de ano bissexto, consegue-se manter o equinócio confinado aos dias 19, 20 e 21 de março", explica, ainda, o OAL.

Para hoje, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê céu pouco nublado ou limpo, com "aumento do desconforto térmico durante o dia" e "acentuado arrefecimento noturno".

Catarina Machado