Depois do «bug» sofrido pelo serviço «Google Docs» no princípio do mês, a EPIC (Centro para a Privacidade da Informação Electrónica) pediu que enquanto a empresa não garantir a segurança do sistema seja proibido o seu uso. Esta instituição pediu à FTC (Comissão Federal do Comércio) que investigue as condições de funcionamento das aplicações do conhecido motor de busca, noticia «El País».

A EPIC acusa a Google de se publicitar enquanto serviço seguro, no entanto, nos termos de uso apresentados pela empresa «depreciam qualquer garantia ou responsabilidade pelos danos derivados pela negligência, imprudência ou má utilização do Google».

O «bug» na segurança do «Google Docs» tornou acessível durante algumas horas a informação de 0,05% dos utilizadores. A «Google» já respondeu, afirmando que é mais seguro guardar documentos nos seus serviços do que no próprio disco de um computador pessoal

A EPIC deu a conhecer que a sua preocupação não se restringe apenas as serviços da Google, mas sim a todos serviços de «cloud computing», que permitem que o utilizador ignore os programas instalados no computador e a sua capacidade de armazenamento e use a Internet para o mesmo efeito.