O grupo chinês de telecomunicações Huawei lançou esta quinta-feira, em Munique, o seu novo 'smartphone' de gama alta, o primeiro a ser afetado pelas sanções norte-americanas e sem ter aplicações da Google.

O Mate 30 e o Mate 30 Pro não terão motor de busca da Google integrado, mas um "Huawei Browse" e um "Huawei Music video".

O grupo chinês foi sancionado pelos Estados Unidos, atualmente envolvidos num conflito comercial com a China, e colocado em maio numa 'lista negra' de Washington, que proibiu as empresas norte-americanas de serviços e de componentes de negociarem com a Huawei, acusada de espionagem.

"Devido à interdição norte-americana, o GMS (Google Mobile Services, uma série de aplicações desenvolvida pela Google) não pode ser pré-instalada, pelo que propomos o HMS" (Huawei Mobile Service), uma série de aplicações desenvolvidas pela Huawei, afirmou no lançamento internacional do aparelho Richard Yu, um dos dirigentes da Huawei.

Já em agosto, Donald Trump tinha dado mais 90 dias à Huawei para negociar com as empresas norte-americanas.