Puxar o autoclismo com a tampa aberta pode espalhar infeções como o coronavírus, defende um estudo chinês publicado, terça-feira, na revista científica Physics of Fluids.

As gotículas expelidas durante uma descarga podem viajar até uma distância de 91 centímetros, a partir do chão, comprovaram os cientistas da universidade de Yangzhou, que recorreram a um modelo computadorizado para medir a "nuvem de aerossóis" gerada.

Durante a descarga, as gotículas sobem, permanecem no ar e em superfícies, podendo contaminar a próxima pessoa que usar a casa de banho. A simulação no computador mostra como puxar o autoclismo pode produzir uma "força" de 6.000 gotículas.

A importância destas conclusões prende-se com o facto de um vírus poder ser transmitido através das fezes, ainda que não seja claro se esta pode ser uma forma de contágio do SARS-CoV-2, o vírus responsável pela Covid-19.

A infeção por coronavírus é detetada, particularmente, em células do trato respiratório, mas foi já comprovada a existência de recetores no intestino delgado. A diarreia, aliás, pode ser um dos sintomas de Covid-19.

Os resultados da simulação são alarmantes, pois observa-se um transporte maciço de partículas virais, com 40% a 60% das partículas a chegar acima da sanita, levando à disseminação em grande escala do vírus", sublinham os autores do estudo, citado pelo The New York Times.

Muito importante, conclui o estudo, é fechar a tampa antes de puxar o autoclismo e desinfetar as mãos depois de ir à casa de banho.

Redação / CM