Já diz o ditado popular "uma maçã por dia, nem sabe o bem que lhe fazia". Neste caso, segundo uma nova investigação, basta ingerir duas maçãs e três porções de cenoura diariamente para reduzir a possibilidade de sofrer um ataque cardíaco ou um AVC.

Comer frutas e vegetais não contribui só para melhorar a saúde, pode diminuir também a possibilidade de morrer destas causas ou desenvolver doenças coronárias, de acordo com um estudo apresentado num congresso organizado pela Sociedade Americana de Nutrição.

A investigação cruzou dados mundiais de consumo de frutas e legumes com as notificações de mortes por causa de doenças cardiovasculares durante o ano de 2010. O estudo, que faz parte do projeto Global Dietary Database, realizou estimativas da ingestão média diária de frutas e outros vegetais a partir de pesquisas realizadas em 113 países. Essas informações foram depois combinadas com os dados sobre as principais causas de morte em cada um das nações participantes, além de estatísticas sobre outros riscos de problemas cardiovasculares.

Os cientistas concluíram que uma em cada sete mortes por AVC pode ser atribuída à falta de ingestão de frutas e legumes nas quantidades desejáveis. Para além disto, uma em cada 12 mortes por doenças cardiovasculares também resulta da falta de consumo de legumes e verduras.

Os investigadores vão mais longe e garantem que, só em 2010, podiam ter sido evitadas 1,8 milhões de mortes por AVC e 1 milhão de mortes por outras causas, também associadas ao baixo consumo de legumes.

Com base nos dados recolhidos, os cientistas apuraram também que, a nível mundial, a falta de ingestão de frutas e legumes pode resultar em cerca de 1,3 milhões de mortes por AVC e 520 mil mortes por doenças coronárias por ano.

A nossa pesquisa indica a necessidade de expandir os esforços para aumentar a disponibilidade e o consumo de alimentos protetores, como frutas e vegetais", garantiu a especialista em nutrição da Universidade Tufts Victoria Miller, em entrevista à BBC News Brasil.

Os benefícios das frutas e dos legumes advém da sua composição. Estes alimentos são ricos em fibras, potássio, magnésio, antioxidantes e fenólicos, que contribuem para reduzir a tensão arterial e o colesterol e para um aumento da flora bacteriana no sistema digestivo.

Para além disto, uma dieta rica em frutas e vegetais está normalmente associada a um baixo risco de obesidade e desenvolvimento de doenças cardiovasculares.