Um homem na Tailândia matou a filha, de 11 meses, em direto no Facebook, tendo-se suicidado depois diante da câmara, disse esta terça-feira a polícia.

O crime surge alguns dias depois do vídeo de um homicídio nos Estados Unidos ter sido transmitido através do Facebook.

De acordo com a agência de notícias France Presse, foram os amigos do homem que advertiram a polícia de Phuket, no sul da Tailândia.

Já estavam mortos quando chegámos ao local" na segunda-feira à tarde, disse o tenente Jullaus Suvannin, um dos primeiros a chegar à cena do crime.

De acordo com a polícia, o homem teve antes uma discussão com a mãe da filha de 11 meses.

Este assassínio seguido de suicídio ocorreu alguns dias depois de um homicídio em Cleveland, Estados Unidos, onde um homem de 37 anos matou um homem de 74 anos, divulgando depois o vídeo do homicídio na rede social Facebook.

Após ter sido identificado pela polícia, o autor do crime acabou por se suicidar após uma perseguição policial.

Depois deste crime, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que iria fazer tudo o que fosse possível para evitar a repetição de tragédias deste tipo.

"Temos muito trabalho. Vamos continuar a fazer tudo o que pudermos para evitar este tipo de tragédia", declarou Mark Zuckerberg, que também assume a presidência executiva do Facebook, na semana passada, um dia depois de ser conhecido o caso de Cleveland.