A cápsula Dragão, lançada esta do Cabo Canaveral (Flórida, EUA), para abastecer a Estação Espacial Internacional, informou que teve «alguns problemas» ao separar-se do foguete Falcão 9.

Segundo informações da Agência Espacial norte-americana (NASA), citadas pela Lusa, o incidente ocoreu nos propulsores da cápsula, que são aqueles que permitem aos engenheiros dirigi-la, a partir da Terra, assim que entra em órbita.

Dos quatro motores existentes há apenas um em funcionamento, disse a NASA, citada pela agência de notícias Efe.

Apesar do problema, de momento a cápsula continua a sua viagem em direção à Estação Espacial Internaciona (EEI).

Esta missão é a terceira viagem de uma cápsula Dragão, feita pela empresa privada Space Exploration Technologies, para o laboratório orbital, depois de um voo de demonstração em maio de 2012 e da missão de reabastecimento em outubro passado.

A cápsula Dragão leva cerca de 550 toneladas de suprimentos para a tripulação da Estação Espacial Internacional, um projeto que envolve 15 países.

A Estação Espacial Internacional orbita a 385 quilómetros da Terra a uma velocidade de 27 mil quilómetros por hora.

O programa prevê que a cápsula Dragão regresse à Terra a 25 de março, descendo de para-quedas sobre o Oceano Pacífico, ao largo da costa da Califórnia, trazendo a bordo cerca de uma tonelada de equipamentos e material de experiências.

Na estação Espacial Internacional estão atualmente seis tripulantes, os russos Oleg Novitski, Yevgueni Tarelkin y Román Romanenko, os norte-americanos Kevin Ford e Tom Marshburn, e o canadiano Chris Hadfield.
Redação