A Web Summit, que se realiza em Lisboa, já tem data e não é em novembro, como nas anteriores edições. A maior conferência tecnológica mundial vai decorrer entre 2 e 4 de dezembro e terá uma forte componente online, confirmou Paddy Cosgrave, um dos cofundadores do evento, nesta quarta-feira.

A presença física de participantes está em discussão com as autoridades de saúde portuguesas devido à pandemia de Covid-19 e a decisão só será tomada em outubro. Mas os bilhetes para a participação online já estão à venda.

No passado dia 16, Paddy Cosgrave confirmou a realização da Web Summit em Lisboa, sem adiantar mais detalhes, garantindo apenas que seriam cumpridos "os mais rigorosos protocolos de saúde".

Na última edição, que teve lugar entre 4 e 7 de novembro, no Parque das Nações, passaram pela conferência mais de 70.000 participantes, oriundos de 163 países.

Este ano, as coisas serão diferentes.

Enquanto vai ser preciso esperar até outubro para confirmar a presença física no evento, e também só nessa altura serão vendidos os bilhetes, sabe-se já que a Web Summit está a preparar uma conferência online que pode contar com até 100.000 participantes, usando a mesma plataforma utilizada na conferência tecnológica Collision, evento irmão da Web Summit, que decorre habitualmente em Toronto, no Canadá.

Só nesta semana, a versão online do Collision - "Collision From Home" - atraiu mais de 30.000 participantes, segundo a organização.

Há mais de meia década que desenvolvemos software que permite conexões em eventos, por isso, será natural conduzi-los online. Esperamos que nossa plataforma permita às pessoas de todo o mundo fazerem as mesmas conexões significativas e valiosas que, de algum modo, são um pouco semelhantes ao mundo real", justificou Paddy Cosgrave.

Lisboa é, neste momento, um dos concelhos mais afetados pela pandemia de Covid-19, que, em Portugal, já causou 1.540 mortos e 39.737 infetados.

Esta semana foram anunciadas medidas excecionais para a região de Lisboa, que afetam 19 freguesias de cinco concelhos - Amadora, Odivelas, Sintra, Loures e Lisboa, com o prolongamento do estado de calamidade devido à propagação da doença.

A capital portuguesa foi, também, escolhida como palco da fase final da Liga dos Campeões.

  

Catarina Machado