A Terra está agora mais verde do que há 20 anos, segundo um novo estudo divulgado pela NASA este mês. A conclusão, que pode parecer surpreendente numa altura em que tanto se fala do desaparecimento de várias florestas, deve-se essencialmente a dois fatores: ao programa de proteção de florestas da China e à intensa exploração agrícola neste país e na Índia.

As conclusões apresentadas pela NASA resultaram da análise de dados de satélite recolhidos entre 2000 e 2017.

Nos últimos 20 anos, as áreas verdes do planeta aumentaram o equivalente a toda a área da floresta da Amazónia. E os principais responsáveis por isto são os dois países mais populosos do mundo, a China e a Índia.

Ambos os países expandiram as áreas verdes através da intensa exploração agrícola, sendo que o fenómeno tem um maior peso na Índia. Desde 2000 que a produção de grãos, legumes e frutas nestes países aumentou entre 35% e 40%.

Mas no caso da China, o aumento das zonas verdes deveu-se essencialmente a outro fator: aos programas implementados por Pequim para conservar e expandir as florestas, com o objetivo de minimizar os efeitos da poluição e das alterações climáticas.

Nos anos 70 e 80, a situação de perda de vegetação na Índia e na China não era boa. Nos anos 90, as pessoas perceberam isso e hoje as coisas estão melhores”, firsou o investigador da NASA Rama Nemani, coautor do estudo.

Apesar das boas notícias, os cientistas deixaram alguns avisos.

Na Índia, por exemplo, a exploração agrícola depende da irrigação de águas subterrâneas e, se essa água acabar, a tendência de aumento das zonas verdes pode mudar.

Os investigadores destacam também que este aumento da vegetação não compensa os danos causados pela desflorestação em países como o Brasil e a Indonésia.

As consequências para a sustentabilidade e a biodiversidades desses ecossistemas permanecem", lê-se no estudo da NASA.