Foi preciso Rafael Nadal suar para a Espanha carimbar a passagem para as «meias» da Taça Davis. O número 1 mundial ganhou o jogo individual e passado vinte minutos o de pares. A seleção da casa vai agora defrontar a Grã-Bretanha. 

A Argentina entrou melhor com Guido Pella a vencer Pablo Carreno Busta por 6-7, 7-6 e 6-1, com destaque para o domínio no último set, que valeu ao argentino elogios de Nadal. 

O número 1 do ténis mundial entrou em campo com a seleção em desvantagem, mas não cedeu e venceu Schwartzman em apenas uma hora. O espanhol dominou os dois set por 6-1 e 6-2. Sem demoras, Nadal saiu do campo e fez dupla com Granollers nos pares que acabaria por vencer por 6-4, 4-6 e 6-3. 

No outro jogo da sessão noturna a Grã-Bretanha, sem o ex-número um do mundo, Andy Murray, só precisou dos dois jogos de individuais para eliminar a Alemanha e passar para as «meias».  No primeiro jogo, Kyle Edmund venceu Kohlschreiber por 6-3 e 7-5. De seguida foi a vez de Evans sentenciar a eliminatória levando de vencido Struff. Num segundo jogo bastante equilibrados foram precisos dois tie breaks, no primeiro e terceiro set, para os britânicos voltarem sorrir.

Uma conferência de imprensa emotiva

Depois da eliminação frente à Rússia, a seleção de Novak Djokovic apareceu visivelmente triste na conferência de imprensa. Nenad Zimonjic, capitão da seleção, não se conteve e teve que interromper uma resposta quando falava sobre o final da carreira de Janko Tipsarevic, que se retirou esta semana.

Eu sinto como que esta eliminatória, com o Janko a despedir-se, significa o fim da era dourada do ténis sérvio", disse emocionado Zimonjic.

O momento foi aplaudido pelos jornalistas presentes na sala enquanto Krajinovic, que perdeu o primeiro jogo contra Rublev, chorava ao seu lado. 

Jogos das «meias-finais»

Canadá-Rússia (9:30)

Grã-Bretanha- (16:30)

João Guilherme Ferreira / Enviado-especial a Madrid